Mad Love Chase – Manga Review

Tags

, , ,

E chegou nas bancas deste mês, o primeiro volume de Mad Love Chase. Um mangá escrito pela Kazuka Takashima, uma autora conhecida pelos seus trabalhos yaoi, e a Panini trouxe o título. Há principio o título não me chamou nenhum atenção, mas são só 5 volumes então eu pensei ”por que não?”

 

Kaito, o Príncipe dos Demônios, e Rebun, sua gata de estimação, fogem do Reino das Trevas para o mundo dos humanos em busca de uma nova vida. Ele se transforma em um tímido estudante colegial, e ela se torna a bela enfermeira da escola. Mas, atrás deles vêm três bonitões com a missão de encontrá‑los e levá-los de volta! Liberdade, amizade, amor… ou a corte demoníaca? O que o destino reserva para o Príncipe?

(sinopse fornecida no site da editora)

A edição da Panini ficou boa. Dá pra ler a cenas com facilidade, a capa ficou bem parecida com a original (se bem que as capas da versão francesa são mais bonitas), com uma qualidade física boa (talvez um pouco melhor que o normal da Panini), e destaque pra contra capa colorida (também aconteceu com isso com Black Butler ou Kuroshitsuji). Panini realmente caprichou aqui. Só não entendo o por que de lançar um shoujo (que é basicamente uma comédia) tão desconhecido quando temos milhões de títulos relativamente curtos e bons que fossem lucrar mais. Querem um tampa-buraco? Conheço melhores… (Kyou, Koi wa Hajimemasu ou Taiyou no Uta seriam boas escolhas)

Sobre a estória, Kaito foge do seu mundo para vim para o mundo dos humanos porque não quer se casar com a noiva que seu pai escolheu para ele, indo para o mundo dos humanos com sua gata Rebul (que acabou por ficar na forma humana), Kaito vive como um colegial disfarçado para que os agentes que seu pai enviou (e posteriormente sua noiva) não o encontrem e o levem de volta para seu mundo.

E é isso. Contado de uma forma que era supostamente para ser engraçada, acho que ou eu não lidei com o mangá como devia lidar (eu esperava um shoujo mais sério e ganho uma comédia), ou esse realmente não meu estilo de humor. Li reviews de pessoas que morreram de rir, mas o mangá me fez rir muito pouco. Vou continuar acompanhando porque até que gostei, e são só 5 volumes em uma série Bimestral. E, não, nenhum sinal de 20th Century Boys.

Anúncios

Post (muito atrasado) da Temporada de Outono 2012

Tags

, , , , , , , , , , , , , , ,

Eu, com meu senso de responsabilidade lindo, esquecendo de fazer o post. Lindo isso. A temporada já começou e já se lançaram os episódios da maioria dos animes, por isso vou falar da impressão que esses animes me passaram até agora (sendo um pouco mais completo que um post de apostas), então, vamos lá, porque, querendo ou não querendo, a lista é grande.

Bom, quando eu vi o chart dessa temporada, foi um dos primeiros animes que eu decidi assistir. Não me arrependi, um dos três shoujos da temporada e o que teve melhor primeiro episódio. O anime fala sobre Mizutani Shizuku, uma garota que só se importa com suas notas, e que, quando ela leva notas da aula à pedido da professora, para Yoshida Haru, ele fica convencido que eles são amigos. O primeiro episódio é hilário! E fechou com chave de ouro, deixando os espectadores bem surpresos, imagino eu. O segundo foi fraco em comparação ao primeiro, mas ainda assim muito bom, mostrando consistência. 8.5/10 (estou julgando ambos os episódios como um todo, porque o segundo abaixou um pouco o nível)

Não sei praticamente nada sobre o hype desse anime, acredito que seja bem pequeno. Mas eu tinha certas expectativas sobre o anime que foram atendidas (e até superaram). Do mesmo diretor de Fruits Basket Bokura Ga Ita, Akitarou Daichi, tem um mangá de 11 volumes no momento da autoria de Julietta Suzuki. Kamisama Hajimemashita conta a estória de Nanami Momozono, que, depois do pai fugir da cidade por causa de suas dividas, ela fica sozinha e sem uma casa, então, quando um homem que ela acabou se salvar de um cachorro oferece um lugar para ela ficar, ela aceita, porém, acontece que o lugar é um templo, que o homem era um deus, e que ele transferiu suas tarefas para ele. Ou seja, ela tem de ouvir as preces e realizar as tarefas de um Deus. Tem uma proposta meio duvidosa, mas é sim muito bom (pelo primeiro episódio que eu pude assistir), o anime me lembrou muito Fruits Basket Ouran High School Host Club pelo ”tipo de humor”. Gostei bastante. 8/10

Eu queria que esse anime fosse bom. Tinha de ser bom. É um dos animes mais hypados da temporada e eu estava esperando ele desde que lançaram os trailers, esperando uma estória, se não muito séria, divertida o suficiente e com lutas legais. E é exatamente isso, divertida (até o segundo ep.), mas tenho algum problema com esses seyuus que soam estranhos (ou foram os diálogos mesmo?). A GoHands investiu muito na animação que ficou linda, mas a musiquinha de elevador (principalmente no começo do segundo episódio) tira o feeling do anime. Se não tiver nada pra assistir (duvido muito, com essa temporada lotada de animes), assista K sem pretensão alguma, que você consegue personagens bonitinhos, lutas e algo bem divertido, mas só. 6/10

É difícil falar desse tipo de anime, porque é coisa demais pra falar e pra organizar (e eu acabo sempre esquecendo alguma coisa). O anime se centra 1000 anos no futuro, onde a civilização diminui e os humanos estão vivendo em pequenas comunidades dispersas mundo a fora. Os humanos tem uma habilidade ”juryoku” que materializa o que eles imaginam. É interessante notar (pelas roupas, objetos e construções) que eles não estão vivendo como em uma das eras antigas do Japão, pelo contrário, eles utilizam da tecnologia assim como utilizam de seus poderes, mas sempre em equilíbrio com a natureza, sem o consumismo exagerado. O anime é adaptação de um livro homônimo, e é dirigido por Ishihama Masashi (Kamichu!, além de participar do staff de vários animes, como Toki wa Kakeru Shoujo e de alguns episódios de Bleach), sendo do estúdio A-1 Pictures (AnoHano, o recente Magi, Kuroshitsuji, etc..). Tem uma ótima animação, e eu gostei da trilha sonora, o character design pode parecer simples demais, mas eu achei que ficou muito bom. 9/10

Falando de A-1 Pictures, vamos aproveitar pra falar de Magi. O mangá é bem popular, e ultimamente vem sido muito comentado pelos fãns (o que resulta em um anime bem hypado), e deu certo! O anime é realmente muito bom e divertido com cenas cômicas muito boas, e personagens realmente cativantes. Shounen não é exatamente meu estilo favorito de animes, mas desse eu gostei muito, também é interessante é que o anime tem muitas referencias à obra ”As mil e uma noites”. A animação é boa, com grande destaque na ambientação, o diretor, Masunari Koji (Kokoro Toshokan, R.O.D. the TV – aquele anime que ninguém lembra, mas passava no Animax, das meninas que controlavam papel) faz um trabalho certo aqui, e o anime não tem a parte ”certinha”, mostra a civilização como ela é – no máximo permitido a shounens, só lembrando. Sobre a note, me matem, mas acho que 10/10, ou talvez 9.5/10, não encontrei nenhuma parte que ele fez ruim (ou não imaginei que poderiam fazer melhor perante a proposta e tudo mais.

O anime toma parte no futuro, onde é possível medir o coeficiente do estado da mente de uma pessoa, então logicamente eles usam isso para evitar crimes, ou seja, eles tem uma média de violência considerada normal, uma considera alarmante e uma considerada muito perigosa. O anime se centra em Kougami Shinya que foi preso com grande índice de violência. Obra original de Urobochi Gen (sim, sim, o aclamado criador de Madoka Magika) dirigido pelo Shiotani Naoyoshi (que apesar de ter sido diretor apenas de Tokyo Marble Chocolate, trabalhou na staff de vários animes bons como Tekkon Kinkret, Blood + e xxxHolic) com o character desing sedutor da Amano Akira (Katekyo Hitman Reborn!). O anime tem tudo pra dar certo, e pelo que vi até agora (primei episódio) vai ser muito bom, até a música do Kanno Yuugo (Da Capo) está suficientemente boa. 9/10

Bom, é basicamente isso, claro que tem uns outros animes como BTOOOM!, Sukkite Ii Na Yo, Chuunibyou, Zetsuen no Tempest, JoJo’s, que parecem ser bons, mas fadados a ficar esquecidos no meio dos outros (Com certeza não no caso de JoJo’s que eu só não quis comentar porque acho que rir de um clássico deve ser feio).

MacDonald’s + Pokemon

Tags

, , , ,

Não, isso não é um post sobre a imensidão de parcerias que essa querida rede de fastfood fez com um dos animes mais amados de todos os tempos. Apesar de não ser um blog de notícias – claramente, porque eu mal escrevo nele – resolvi postar por achar que isso é bom para conhecimento geral.

 

Apesar dessa cara de ”me dê comida” ainda prefiro o último lançamento (se não me engano, na mesma época do ano passado) onde o Pikachu tinha uma cara ”temível” e dava um Tackle. Alem do ratinho amarelo fofucho, temos ainda o Snivy, Tepig, Oshawott, Dwebble, Woobat, Axew e Emolga.

Me critiquem o quanto quiserem, mas eu necessito do Woobat (aquele Pokemon que parece uma mistura de morcego e porco espinho). Não tenho certeza se vai fazer sucesso ou não, esses pokemons estão na temporada que passa no Cartoon Network atualmente, mas não estou certa quanto a sua popularide.

Eles tem o bônus de fazer uma ação especial, como por exemplo, as bochechas do pikachu ”brilham” no escuro (já cansei de desapontar, quando era criança, com essas coisas que supostamente brilham no escuro, desisti faz tempo).

Então é isso, estará no McDonalds a partir do dia 27 (está quinta-feira). So, gonna catch them all?

Tretas em Kokoro Connect

Tags

, ,

Eu estava com tanta preguiça de postar isso para vocês… Sei lá, ainda só estou fazendo o post pra tentar adiantar ainda mais meus estudos, mas como ninguém se importa, vamos logo ao post.

Então, faz muito tempo que a notícia saiu, e o site oficial de Kokoro Connect já publicou inclusive uma desculpa para os fãs da serie. Entre todo esse burburinho todo (e a estória sendo distorcida para lá e para cá), eu consegui entender o que aconteceu mais ou menos (graças a esse link):

Então a Silver Link (alguns seyuus e se não me engano um produtor) resolveram fazer uma ”brincadeirinha” – de extremo mal gosto – antes do lançamento de Kokoro Connect. O alvo dessa brincadeirinha foi Mitsuhiro Ichiki (Aoi Kazuya de Freezing, Ayuzawa Misaki nos especiais de Kaichou wa Maid-sama!) que é, de certa forma, novato entre os seyuus. Foi basicamente assim, eles tinham chamado vários seyuus e criado umas falas falsas para eles fazerem o teste, pedindo até que ele fizesse coisas ridículas (que os japoneses de alguma forma acham engraçado, não entendo muito bem o senso de humor deles) durante o teste e foi filmado escondido. Durante o evento, Ichiki foi chamado ao palco sem saber nada sobre a brincadeira, como se fosse para apresentar um personagem surpresa original, só para, depois que passassem o vídeo ele descobrisse que foi alvo de uma ”pegadinha do malandro”.

Foi uma coisa bem idiota pra se fazer por parte da Silver Link, mas acontece que, supostamente Ichiki ficou em depressão pelo ocorrido. De acordo com o site oficial, tudo não passava de um mal entendido dos fãs pela falta de explicações do ocorrido. E novamente, de acordo com eles, Ichiki estava no comando da campanha publicitária desde o início (e se compararmos as datas do ocorrido, com a data do anunciamento do site que ele é diretor publicitário, eles batem). Nisso o personagem que ele representaria realmente existia e planejavam usa-lo a partir do episódio 14.

O próprio Ichiki, disse que tudo não passava de um mal-entendido e que não se sentiu como se fosse um abuso de poder.

Agora indo ao meu ponto de vista. Além de todas as coisas que o estúdio do anime está passando, eu fico imaginando como a/o escritor/a da light novel (ou do mangá) está passando. Teve até um plano de boicote por parte dos japoneses de qualquer anime que os seyuus que aplicaram a brincadeira estivessem envolvidos. Eu acho isso tão estúpido.

E vejo opniões como a minha no próprio animelist. Quer dizer, esse ”boicote” iam afetar até inocentes no caso, e alem do mais, parece coisa de criança mimada. Da Vinci roubava cadáveres para desenhar e não vi ninguém reclamando disso (comparando Da Vinci com Kokoro Connect…), mas vocês entenderam meu ponto de vista (ou não..).

Não comprando nada, ou deixando de assistir por causa do incidento vai fazer de você só idiota, afinal a serie não tem nada com isso. Além de você não estar fazendo nada construtivo, você só vai estar punindo as pessoas erradas.

Sei que minha opnião não muda basicamente nada, mas fiquei com muita raiva quando soube do boicote.

Monster

Tags

, , ,

E a Panini nos trás um grande título de Naoki Urasawa (que foi, inclusive, lançado até o 10° volume pela Conrad). Como muitos, estou decidida a acompanhar esta série, além de achar o tema dela interessante (e não ter tido a chance de comprar as edições pretas da Conrad, que supostamente tem uma qualidade superior) e adorar o tema de Naoki, eu não deixaria uma obra prima como essa passar (apesar de não estar acompanhando Dragon Ball, mas esse talvez eu comece a acompanhar daqui a algum tempinho).

Não acho que eu deva comentar muita sobre a história, a história é ótima por si mesma e todo mundo sabe. A qualidade é a nossa conhecida da Panini, com capa igual ao original e um glossário bem feitinho no final.

Nada muito grande a reclamar, apesar de achar que parece que a Panini prestou muita pouca atenção nesse título. Ok, eu sei, compreendo que os olhos da editora estão todos em cima de Dragon Ball graças ao sucesso do lançamento do próprio. Entre essas e outras, ainda acho que a Panini deveria investir um pouco mais na divulgação desse mangá. Agora, só falta eu conseguir me organizar direito pra ver se consigo acompanhar 20th Century Boys, mas como provavelmente ambos serão bimestrais isso vai facilitar a vida de muita gente (inclusive a minha).

 

First Squad: A hora da verdade

Tags

, , , , , ,

Olá! Quanto tempo, não? Bom, hoje vou falar de First Squad, que eu achei anteontem em uma prateleira Random na Fnac. Se eu tenho ideia do por que eles trouxeram logo um título duvidoso para o Brasil nesse pseudo-mercado de animes que temos aqui? Nenhuma. Mas, vamos começar com a review.

Bom, temos uma qualidade técnica inquestionável aqui digna do Studio 4°C (Princess Ariete, Tekkon Kinkreet) e talvez essa seja a melhor parte do anime. Não que o roteiro seja ruim ou algo do tipo, mas a animação é realmente muito boa, e a grande quantidade de história do roteiro não cabe no OVA de 60 minutos.

E acho que essa seja a falha da história, a falta de tempo. No OVA inteiro temos um ritmo descontrolado e que fica mudando toda hora, fora que começam e terminam o filme de uma forma que falta muita coisa a ser explicada. O filme é resultado de uma colaboração entre diretores e animadores japoneses e escritores Russos especializados na Segunda Guerra Mundial na União Soviética.

 

No começo do filme somos apresentados a Nadja Ruslanova, uma clarividente de 14 anos que (até então) está ajudando em um circo (ou algo do tipo, é alguma coisa para entreter guerrilheiros). Porém Nadja perdeu parcialmente suas memorias lembrando apenas de algumas partes da sua infância. Quando o esquadrão que ela está entretendo é atacado ela foge e acaba se encontrando com Monk. Ao encontrá-lo ele a manda procurar General Belov.

Quando mais nova, ela foi treinada para ser do sexto esquadrão, que seria um esquadrão especial e essencial para as forças Russas, se não tivessem sidos mortos em um ataque. Como Nadja é a única sobrevivente (mais o plus dela ser clarividente), o General Belov precisa dela para que ela vá para o mundo dos mortos trazer seus colegas do sexto esquadrão para eles vencerem Von Wolff, um espirito de 700 anos que voltou a vida para ajudar os nazistas a vencerem a guerra.

Eu achei até legal. A abertura deixa os fãns da segunda guerra babando, e a história é bem interessante. Como eu coloquei no my anime list, Average. Cumpre sua função de entreter, mas nos dá um final tão vazio, do tipo ”faltou alguma coisa aqui”.  Possivelmente foi planejado para ter continuação, mas não vi nada falando sobre. Sim, recomendo, são só 60 minutos, largue de re-assistir K-On! e tente assistir isso aqui, talvez você goste cof cof’ eu? reassistir K-On? imagina… 

Ah! Lembrando que esse anime foi licenciado no Brasil, então se você tiver o minimo de ética vai pelo menos tentar comprar o DVD, e lembre-se, cada DVD é um passo a mais pra evolução do mercado de animes no Brasil.

Eu comprei o meu na Fnac pela facada quantia de R$39,90 mas você pode encontrar no Wallmart por R$18,90. Agora da licença que esse anime me deu vontade de re-assistir Ashita no Nadja~~

 

 

 

 

Jinrui wa Suitai Shimashita

Tags

, , , , , , ,

E o anime de fadinhas da temporada estreou! Não preciso dizer que estou mais do que feliz com isso, não é? Pois é, Jinrui wa Suitai Shimashita correspondeu a minha expectativa de fofura, e colocou um pouco de humor nisso tudo! Sinceramente, quando classificarem o anime com o gênero comédia eu pensei que seria algo mais no estilo Lucky Star (não que fuja completamente do ”estilo”), mesmo que o PV tenha nos apresentado uma comédia mais… diferente?

E a nano.RIPE nos dá mais uma op. lindinha! Depois da opening de Sankarea na temporada passada, Esoragoto, temos Real World para Jinrui. Dirigido por Seiji Kishi (Angel Beats!, Persona 4 THE ANIMATION), no estúdio AIC Asta (Sora no Otoshimono, Persona 4 THE ANIMATION) que parece ter gostado da parceria, a animação não está ruim, eu até a classificaria com 4 estrelas de 5. O script de Makoto Uezo ficou entediante em ponto, mas logo se recuperou, nada que possa realmente prejudicar o anime.

O character design não está uma graça? Mas uma coisa que me incomoda no anime é a falta de nomes, não gosto disso, me dá aflição não saber o nome do personagem. E pelo jeito não vai mudar, tenho que me acostumar.

Não que eu ache que spoilers do primeiro episódio prejudiquem muito, mas considerem-se avisados.

Awn, não deixo de pensar como essas fadas-psicóticas são lindinhas! Bom, voltando ao anime, apesar de eu não ter gostado muito do frango depenado da FairyCo, tem quem goste, eu não vi tanta graça naquilo.

FairyCo não se responsabiliza por possíveis traumas ao consumo desse produto.

E o pão foi, sem duvida, o auge do episódio. Já estou enchendo minha mãe para eu poder ir comer um pouco de sua comida-lixo. Voltando a meu estado normal, na serie, como o titulo diz, a humanidade está declinando, e segundo a mediadora, logo eles estarão extintos. No primeiro episódio, deu a perceber que a série vai ser em torno dos problemas que a humanidade está passando com a falta de suprimentos e de pessoas.

A FairyCo, tem o objetivo de sintetizar alimentos que os ingredientes estão em falta. Como o próprio pão disse ”O importante é que tenha gosto de pão. Pão sintético é barato e saudável.” e isso é basicamente uma critica escancarada ao consumismo exagerado da sociedade atual. Bom, eu não sei o que esperar desse anime, mas pelo menos já descobri o que Seiji Kishi está fazendo aqui. Está mais que obvio que vou continuar, não é?

Temporada de Animes Verão 2012 – O Que Esperar?

E as minhas férias chegaram! Junto com uma temporada que acaba de sair do forno, e de bônus esse clima friozinho e seco que todo mundo ama ou não. Claro, depois de meu sumiço, acho que devo compensar um pouco aqui.

E essa temporada continua como sempre, com um ou dois animes que no final sejam realmente bons, e a maioria ficando no mediano. Mas, é claro que, ela já ganha a minha atenção pela presença de Pokemon, e do filme (inexplicavelmente até que bem hypado após a quase tragedia que foi seu anime) de Blood-C, claro, também temos o filme do meu Kenshin, Rurouni Kenshin: Shin Kyoto-Hen. Agora, sem mais delongas, os animes que conferirei nessa temporada (vocês podem achar essa lista pequena, mas nem imaginam o tamanho da lista de animes mais antigos que eu tenho pra assistir).

Sword Art Online: Em 2022, a humanidade aperfeiçoou a realidade visual em um jogo chamado Sword Art Online, a estória gira em torno de Kirito, que juntamente com outros 10.000 recebeu uma mensagem assustadora do Game Master. Agora eles estão presos dentro do jogo, e a unica forma de sair é finalizando-o, sendo que um game-over significa a morte no mundo real.

Bom, a temática desse anime (que se eu não me engano, é do mesmo criador de Accel World) me lembra muito a de .Hack (a franquia toda), e é simplesmente por isso que vou assistir. O character design é bem pipoca, e a animação não é das melhores (sim é boa, mas não a melhor), mas pelo que eu vi do trailer o clima me lembra muito .hack/ e por isso vou dar uma chance lembrando que a franquia é um dos amores da minha vida, não critiquem, tá? se não eu choro .

Jinrui wa Suitai Shimashita: Os seres humanos estão vivendo séculos de declinio na sua população, a tal ponto que hoje a Terra é o reino das fadas, pequenas criaturas com 10cms de altura muito inteligentes e que adoram doces. Shujinko é uma humana com um trabalho muito importante, ela é a mediadora entre as fadas e os humanos. Ela escolheu esse trabalho por pensar se tratar de uma tarefa simples, porém, depois de conhecer as fadas, ela percebe que não é bem assim.

Ah, doces, como são… espera, isso são frangos?! Escolher frangos decapitados para apresentar o PV de um anime sobre fadas não é a melhor escolha, mas fazer o que. O meu histórico de animes é bem variado, mas eu tenho uma certa preferencia para animes que tenham cores açucaradas e com criaturas fantásticas, e se forem fadas, melhor ainda! (Diz a bendita fã de Pokemon, Mirmo Zibang e Hakushaku to Yousei) E essas fadas que mais parecem Nendoroids me encantaram… Mas como raios Seiji Kishi (Angel Beats!) veio parar aqui? Sei que é normal diretores pegarem trabalhos extremamente diferentes mas esse não é bem o ”padrão” que eu esperava dele.

Natsuyuki Rendezvous: A história de Natsuyuki gira em torno de um triângulo amoroso formado por Hazuki, Rokka e… um fantasma de Shimano, o ex marido de Rokka. Hazuki se apaixona por Rokka e começa a trabalhar na mesma floricultura em que ela é a dona. Tudo parece se encaminhar bem e Hazuki finalmente tem a chance de se aproximar de sua amada, até descobrir que será perseguido e vigiado de perto por Shimano, que mesmo já tendo morrido não sai de perto de sua ex esposa.

Bom, eu sempre sonhei em ter uma floricultura, mas isso não vem ao caso. Eu não sei bem explicar porque e o que eu espero desse anime, eu espero desse anime tudo que eu espero de um josei romântico, só isso. Não acho que o estúdio (Dogakobo que por alguma razão eu fico falando ”dokabo”) vá interferir muito na qualidade da animação, mas pelo PV não acho que as flores serão tão detalhadas como no mangá, espero que esteja errada nesse quesito.

Bom, é basicamente desses 3 que eu espero alguma coisa, estou muito hesitante quanto à La Storia della Arcana Famiglia e Tari Tari (cujo o último inclusive já lançou o primeiro episódio só para mostrar o atraso e a incompetência de quem vós escreve). Sobre Yuru Yuri e Moyashimon Returns eu não assisti a primeira temporada, e não pretendo assistir também. Ah, eu também vou assistir Joshiraku, mas sem esperar nada, que é o que eu acredito ser a maneira certa de assistir um anime assim. Alguém notou a presença de um OAD, se não me engano, de Corpse Party e de finalmente, os OVAs de Code Geass? Dos filmes, Ookami Kodomo no Ame to Yuki me chamou muita a atenção.

E o que vocês vão assistir dessa temporada ^^?

Anime Friends e Preço Dos Ingressos

Acho que precisamos avisar aos produtores dos eventos: Nós otakus não nadamos  em dinheiro.

Porque, por algum motivo lindo do universo o preço dos dois melhores eventos (na minha opnião) de animes&cia do Brasil, tiveram seus preços aumentados drasticamente. O do Kodama beirando ao absurdo.

Você pode conferir nos próprios sites, os ingressos antecipados do Anime Friends tem média de 30 reais, sendo o mais caro o do último dia que custa 40 reais. Estou repensando se deveria ir no evento, mas se eu chegar a ir, vou ou só no ultimo dia e saio comprando sem aproveitar o evento, ou compro o pacote de 60 reais pros dias 12, 13 e 14.

O pior de tudo é que o local é BEM menor que o AF de 2011. Como assim produção?

Agora o Kodama já não tava nos meus planos. E provavelmente eu vá nele e não no Anime Friends pelo preço da meia. O ingresso do Kodama só é vendido antecipado, e a meia (para ambos os dias, e só é vendido assim) custa 36 reais, e a inteira custa 72. Não vou deixar de reclamar porque posso pagar meia, o preço ainda tá alto demais.

Talvez seja eu, mas ser otaku/otome está sendo muito prejudicial esse ano.

Natsuiro Kiseki

Bom, isso não vai ser um post de verdade.

Vim, só avisar que basicamente dropei Natsuiro Kiseki. É isso que dá ler a sinopse e não pesquisar mais sobre o anime. Parabéns Isadora, meus parabéns.

Não eu não assisti o trailer, e acho que mesmo se tivesse assistido, ia continuar com a mesma ideia que inicialmente tive do que seria o anime.

Natsuiro Kiseki é um anime estilo slice of life que será protagonizado por quatro garotas: Natsumi, Saki, Yuka e Rinko. Durante o verão elas irão viver um milagre que mudará a rotina de suas vidas para sempre.

Venhamos e convenhamos, essa sinopse engana um pouco não? Err… Eu que sou burra mesmo? Tá bom…

Detalhe que essa é a sinopse em português, eu não tinha me deparado com a palavra ”rotina” na sinopse em inglês… Bom, para mim Natsuiro Kiseki iria seguir a linha Angel Beats, Air, Clannad, etc… Afinal, eles não falam qual é o milagre, então eu pensei em algo mais, digamos, sério. Mas… Idols? Serio mesmo? Idols?

É impressão minha ou o Japão está com tara com Idols ou ”dramas” (no sentido mais vago da palavra) pre-adolescentes? cala a boca, sempre teve .

Eu já não estou mais com paciência para drama à lá Black Rock Shooter, mas, novamente, Idols? Vocês podem desejar qualquer coisa, vocês podem desejar que Pokemons existam! Normalmente eu ignoro a ineficácia do character design (e no caso, da péssima animação, pelo menos The Idollm@ster teve dancinhas bem animadas) mas como não fui com a cara desse anime, carimbo um NÃO gigante para ele. (Do mesmo jeito que fiz com Guilty Crown, mas aí foi por puro ódio do roteiro mesmo, que aqui não deixa de estar presente – mesmo que em quantidade menor).

Que lindo, eu poderia estar comentando sobre Ozuma, mas não, vim gastar meu tempo com essa belezura… Ai, ai…

Bom, vou indo. Ah, e não é pelo meu preconceito aparente com idols que vou deixar de ver AKB0048, por mais que o anime seja uma merda, eu vou assistir só por espírito de fãn mesmo.